VERBOS




– o ensino da língua materna deve considerar a necessária aquisição e o desenvolvimento de três competências: interativa, textual e gramatical. Esse tripé, necessariamente inter-relacionado, mesmo não sendo exclusivo da disciplina, encontra nela os conceitos e conteúdos mais apropriados.


DIRECIONAMENTO DO OLHAR GRAMATICAL PARA A ORGANIZAÇÃO TRADICIONAL

Vídeo: Mataram a coitada da gramática. TAMBÉM!!!
Análise gramatical da entrevista dos  Nardoni por Rafinha Bastos e Marcelo Mansfield.

VIDEOAULAS:
VERBOS 01 - O QUE É VERBO
VERBOS 02 - FLEXÃO TEMPO E MODO VERBAL
VERBOS 03 - FORMAS NOMINAIS DO VERBO
VERBOS 04 - CLASSIFICAÇÃO DO VERBO
VERBOS 05 - LOCUÇÃO VERBAL E TEMPO COMPOSTO
VERBOS 06 - VOZES VERBAIS
VERBOS 07  - Formação dos tempos no modo indicativo (verbos regulares)
VERBOS 08 - Formação dos tempos no modo subjuntivo (verbos regulares)
VERBOS 09 - Formação dos tempos no modo imperativo (verbos regulares)
VERBOS 10 -  Formação do infinitivo
VERBOS 11 -  Formação dos tempos compostos
VERBOS 12 -  Verbos pronominais


QUIZ - VERBOS NO PRETÉRITO 



Verbo é a palavra que expressa processos, ação, estado, mudança de estado, fenômeno da natureza, conveniência, desejo e existência. 
Desse modo, enquanto os nomes (substantivo, adjetivo) indicam propriedades estáticas dos seres, o verbo denota os seus movimentos, por isso sua característica de dinamicidade.


Estrutura das Formas Verbais


Do ponto de vista estrutural, uma forma verbal pode apresentar os seguintes elementos:

Quanto à estrutura: 

a) Radical: (a parte invariável e que normalmente se repete) que expressa o significado essencial do verbo.
fal-ei; fal-ava; fal-am. (radical fal-)
b) Vogal Temática / Tema: (que caracteriza a conjugação) o radical seguido da vogal temática que indica a conjugação a que pertence o verbo.
fala-r

São três as conjugações:
1ª - Vogal Temática - A - (falar)
2ª - Vogal Temática - E - (vender)
3ª - Vogal Temática - I - (partir)

c) Desinência modo-temporal: é o elemento que designa o tempo e o modo do verbo.
falávamos ( indica o pretérito imperfeito do indicativo.)
falasse ( indica o pretérito imperfeito do subjuntivo.) 

d) Desinência número-pessoal: é o elemento que designa a pessoa do discurso (1ª, 2ª ou 3ª) e o número (singular ou plural).
falamos (indica a 1ª pessoa do plural.)
falava(indica a 3ª pessoa do plural.)

Observação: o verbo pôr, assim como seus derivados ( compor, repor, depor, etc.), pertencem à 2ª conjugação, pois a forma arcaica do verbo pôr era poer. 


A vogal "e", apesar de haver desaparecido do infinitivo, revela-se em algumas formas do verbo: põe, pões, põem, etc.

São três as conjugações em língua portuguesa:
1ª Conjugação: verbos terminados em AR     ESTUD- AR 
2ª Conjugação: verbos terminados em ER     ESCREV- ER
3ª Conjugação: verbos terminados em IR      PART- IR

Flexão
O verbo é uma das dez classes gramaticais. A complexidade de seu estudo talvez se justifica na existência do maior número de flexões. Flexionam-se em número para concordar com o sujeito/substantivo que acompanham; em pessoa; em tempo; em modo e em voz.
Quanto ao número podem ser: Singular e Plural.
Quanto à pessoa podem ser:
1ª pessoa – a que fala
2ª pessoa – com quem se fala

3ª pessoa – de quem se fala


Ao todo, são cinco flexões:
Pessoa
Tempo
Modo
Número
 Voz



PESSOA – Eu, tu, ele/ela, nós vós, eles/elas


TEMPO
PRESENTE 

PRESENTE PRETÉRITO 
PRETÉRITO PERFEITO 
PRETÉRITO IMPERFEITO 
PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO FUTURO 

FUTURO DO PRESENTE 
FUTURO DO PRETÉRITO 

Flexionam-se em tempo para indicar o momento em que ocorrem os fatos:
presente é usado para fatos que ocorrem no momento em que se fala, para fatos que ocorrem no dia-a-dia, para fatos que costumam ocorrer com certa frequência.

Ele escreve para um jornal local.

Eu estudo português quase todos os dias.

Usa-se o pretérito perfeito para indicar fatos passados, observados depois de concluídos.

Ele escreveu para um jornal local sobre Aquecimento Global.

Eu estudei francês o ano passado.

Usa-se o pretérito imperfeito para indicar fatos não concluídos no momento em que se fala como também para falar de fatos que ocorriam com frequência no passado.
Ele estudava todos os dias e ainda escrevia para um jornal local.

Usa-se o pretérito mais-que-perfeito para indicar fatos passados ocorridos anteriormente a outros fatos passados.
Já escrevera muitos artigos polêmicos, quando ingressou no jornal local.

Usa-se o futuro do presente para falar de fatos ainda não ocorridos, mas que ocorrerão depois que se fala.
Ela estudará muito e será bem sucedida na profissão.

Usa-se o futuro do pretérito para indicar fatos futuros que dependem de outros fatos.
Ela trabalharia menos, se tivesse estudado mais.
Eu estudaria francês, se tivesse mais tempo.

_________________________________________________________
Tempos verbais compostos

Em algumas situações não é  possível expressar através das formas simples do verbo a circunstância que pretendemos. Neste caso, recorremos aos tempos compostos, que são formados da seguinte maneira:

Os tempos verbais compostos são formados por locuções verbais que têm como auxiliares os verbos ter e haver e como principal, qualquer verbo no particípio.
VERBO AUXILIAR + FORMA NOMINAL DO VERBO (gerúndio, particípio ou infinitivo). 

01) Pretérito Perfeito Composto do Indicativo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Presente do Indicativo e o principal no particípio, indicando fato que tem ocorrido com freqüência ultimamente.
Ex. Eu tenho estudado demais ultimamente.
     Todos nós nos temos esforçado, para a empresa crescer.
     Será que tu tens tentado melhorar?

02) Pretérito Perfeito Composto do Subjuntivo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Presente do Subjuntivo e o principal no particípio, indicando desejo de que algo já tenha ocorrido.
Ex. Espero que você tenha estudado o suficiente, para conseguir a aprovação.
      O meu desejo é que todos nós nos tenhamos esforçado, para a empresa crescer.
      Duvido de que tu tenhas tentado melhorar.

03) Pretérito Mais-que-perfeito Composto do Indicativo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Pretérito Imperfeito do Indicativo e o principal no particípio, tendo o mesmo valor que o Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo simples.
Ex. Ontem, quando você foi ao Centro, eu já tinha caminhado 6 Km.
      Eu já tinha estudado no Ilza, quando conheci Norma.
      Eu tinha confiado naquele amigo que mentiu a mim.

04) Pretérito Mais-que-perfeito Composto do Subjuntivo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Pretérito Imperfeito do Subjuntivo e o principal no particípio, tendo o mesmo valor que o Pretérito Imperfeito do Subjuntivo simples.
Ex. Eu teria caminhado todos os dias desse ano, se não estivesse trabalhando tanto.
      Eu teria estudado no Ilza, se não me tivesse mudado de cidade.
      Eu teria confiado mais uma vez naquele amigo, se ele me tivesse prometido não mais me trair.
Obs.: Perceba que todas as frases remetem a ação obrigatoriamente para o passado. A frase Se eu estudasse, aprenderia é completamente diferente de Se eu tivesse estudado, teria aprendido.

05) Futuro do Presente Composto do Indicativo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Futuro do Presente simples do Indicativo e o principal no particípio, tendo o mesmo valor que o Futuro do Presente simples do Indicativo.
Ex. Quando você chegar ao Centro, eu já terei caminhado 6 Km.
      Amanhã, quando o dia amanhecer, eu já terei partido.

06) Futuro do Pretérito Composto do Indicativo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Futuro do Pretérito simples do Indicativo e o principal no particípio, tendo o mesmo valor que o Futuro do Pretérito simples do Indicativo.
Ex. Eu teria caminhado todos os dias desse ano, se não estivesse trabalhando tanto.
      Eu teria estudado no Ilza, se não me tivesse mudado de cidade.
      Eu teria confiado mais uma vez naquele amigo, se ele me tivesse prometido não mais me trair.

07) Futuro Composto do Subjuntivo:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Futuro do Subjuntivo simples e o principal no particípio, tendo o mesmo valor que o Futuro do Subjuntivo simples.
Ex. Quando você tiver terminado sua série de exercícios, eu caminharei 6 Km.


Observe algumas frases:
      Quando você chegar à minha casa, telefonarei a Fernando
      Quando você chegar à minha casa, já terei telefonado a Fernando.
Perceba que o significado é totalmente diferente em ambas as frases apresentadas. No primeiro caso, esperarei "você" praticar a sua ação para, depois, praticar a minha; no segundo, primeiro praticarei a minha. Por isso o uso do advébio "já".


Agora observe estas:
      Quando você tiver terminado o trabalho, telefonarei a Fernando.
      Quando você tiver terminado o trabalho, já terei telefonado a Fernando.
Perceba que novamente o significado é totalmente diferente em ambas as frases apresentadas. No primeiro caso, esperarei "você" praticar a sua ação para, depois, praticar a minha; no segundo, primeiro praticarei a minha. Por isso o uso do advérbio "já".

08) Infinitivo Pessoal Composto:
É a formação de locução verbal com o auxiliar ter ou haver no Infinitivo Pessoal simples e o principal no particípio, indicando ação passada em relação ao momento da fala.
Ex. Para você ter comprado esse carro, necessitou de muito dinheiro.

AQUI: CONJUGAÇÃO DOS VERBOS AUXILIARES (SER ESTAR)


Se estes verbos estiverem representando uma única ação verbal, então estamos lidando com uma LOCUÇÃO VERBAL.  Junção de um verbo auxiliar + um verbo no infinitivo ou no gerúndio.

Nas locuções verbais, conjuga-se apenas o verbo auxiliar, pois o verbo principal vem sempre em uma das formas nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio.


Podemos distinguir ainda os verbos auxiliares segundo o valor semântico que carregam. Temos, assim, os verbos auxiliares modais e os verbos auxiliares aspectuais.

VERBO AUXILIAR MODAL - que indica obrigação ou possibilidade 
Expressam o modo como o locutor enxerga aquela ação verbal. Juntos com o verbo principal eles formam uma locução verbal. São eles: dever, poder, ter, saber, crer, precisar, etc.
Exemplos:
  • João pode andar pela praia hoje.
  • João deve andar pela praia hoje.
  • João precisa andar pela praia hoje.
Como podemos ver, dependendo do verbo auxiliar utilizado, o locutor pode expressar certeza, dúvida, desejo, etc.

VERBO AUXILIAR Aspectuais que indicam iniciação, finalização, continuação
Neste caso, o verbo auxiliar acrescenta a noção de como a ação se realizou. São eles: estar, começar, pôr, continuar, etc.
  • Eles estavam assistindo TV.
  • Eles continuavam assistindo TV.
  • Começaram a fazer perguntas.
  • Continuaram a fazer perguntas.
  • Estavam a fazer perguntas.
Eles agem sobre o verbo principal trazendo uma nova informação semântica, como se fossem advérbios caracterizando aquela ação verbal.

O PARTICÍPIO, juntamente com o infinitivo e o gerúndio, é uma das chamadas formas nominais do verbo. É  uma forma fixa, usada para todas as pessoas, e flexionando-se em gênero e número, assemelhando-se mais com um adjetivo do que com uma forma verbal. Mais um motivo para ser chamado de forma nominal.  Nas suas formas regulares, o particípio termina em ADO(A) ou IDO(a).
FALAR – FALADO
A garota havia falado besteira no discurso.
CAMINHAR – CAMINHADO
Nós já  tínhamos caminhado pela manhã.


Observação:
Os verbos abrir, cobrir, dizer, escrever, fazer, pôr, ver e vir só possuem o particípio irregular aberto, coberto, dito, escrito, feito, posto, visto e vindo. 

Os particípios regulares gastado, ganhado e pagado estão caindo ao desuso, sendo substituídos pelos irregulares gasto, ganho e pago

PARTICÍPIO IRREGULAR – VERBOS ABUNDANTES
Verbos abundantes são aqueles que apresentam mais de uma forma verbal para expressar a mesma flexão. Há muitos verbos que possuem duas formas de particípio: uma em ADO ou IDO – regular, portanto; e outra reduzida, irregular.
1ª  conjugação
  • Aceitar – aceitado, aceito
  • Entregar – entregado, entregue
  • Expressar – expressado, expresso
  • Expulsar – expulsado, expulso
  • Matar – matado, morto
  • Salvar – salvado, salvo
  • Soltar – soltado, solto
2ª  conjugação
  • Acender – acendido, aceso
  • Benzer – benzido, bento
  • Eleger – elegido, eleito
  • Morrer – morrido, morto
  • Prender – prendido, preso
  • Romper – rompido, roto
  • Suspender – suspendido, suspenso
3ª  conjugação
  • Emergir – emergido, emerso
  • Exprimir – exprimido, expresso
  • Extinguir – extinguido, extinto
  • Frigir – frigido, frito
  • Imergir – imergido, imerso
  • Imprimir – imprimido, impresso
  • Inserir – inserido, inserto
  • Submergir – submergido, submerso
  • Tingir – tingido, tinto
VERBOS DE UM ÚNICO PARTICÍPIO IRREGULAR
  • Abrir – aberto
  • Cobrir – coberto
  • Dizer – dito
  • Escrever – escrito
  • Fazer – feito
  • Pôr – posto
  • Ver – visto
  • Vir – vindo.



____________________________________________________


MODO
É a propriedade de o verbo designar a atitude mental do falante em face do processo que enuncia. Os modos são:
·                     Indicativo;
·                     Subjuntivo;
·                     Imperativo.

Pode indicar, entre outros processos:
ação (correr);
estado (ficar);
fenômeno (chover);
ocorrência (nascer);
desejo (querer).

O que caracteriza o verbo são as suas flexões, e não os seus possíveis significados. Observe que palavras como corrida, chuva e nascimento têm conteúdo muito próximo ao de alguns verbos mencionados acima; não apresentam, porém, todas as possibilidades de flexão que esses verbos possuem.O modo verbal indica de que forma o fato pode se realizar:

MODO INDICATIVO para fato certo: Eu estudo, Nós escreveremos.

Presente do Indicativo
     1ª 
conjugação  
     2ª 
conjugação  
     3ª 
conjugação  
Desinência 
pessoal
CANTAR
VENDER
PARTIR
cantO
vendO
partO
O
cantaS
vendeS
parteS
S
canta
vende
parte
-
cantaMOS
vendeMOS
partiMOS
MOS
cantaIS
vendeIS
partIS
IS
cantaM
vendeM
parteM
M

Pretérito Perfeito do Indicativo
O pretérito perfeito do indicativo é marcado basicamente pela desinência pessoal.
     1ª 
conjugação  
      2ª 
conjugação  
     3ª 
conjugação
  Desinência 
   pessoal
CANTAR
VENDER
PARTIR
canteI
vendI
partI
       I
cantaSTE
vendeSTE
partISTE
       STE
cantoU
vendeU
partiU
       U
cantaMOS
vendeMOS
partiMOS
       MOS
cantaSTES
vendeSTES
partISTES
       STES
cantaRAM
vendeRAM
partiRAM
       RAM

Infinitivo Impessoal
      1ª 
conjugação
       2ª 
   conjugação
        3ª 
  conjugação
CANTAR
    VENDER
    PARTIR


MODO SUBJUNTIVO para fato hipotético, desejo, dúvida: Se eles trabalhassem...



Presente do Subjuntivo - Enuncia um fato que pode ocorrer no momento atual.
É conveniente que estudes para o exame.
Para se formar o presente do subjuntivo, substitui-se a desinência -o da primeira pessoa do singular do presente do indicativo pela desinência -E (nos verbos de 1ª conjugação) ou pela desinência -A (nos verbos de 2ª e 3ª conjugação)

        1ª 
conjugação
          2ª   
  conjugação  
       3ª 
conjugação 


     temporal  

Desinência
temporal

 

pessoal


CANTAR
 VENDER
 PARTIR
cantE
 vendA
 partA
       E
   A
   -
cantES
 vendAS
 partaAS
       E
   A
   S
cantE 
 vendA
 partaA
       E         
   A
   -
cantEMOS
 vendAMOS
 partAMOS
       E 
   A
   MOS
cantEIS
 vendAIS
 partAIS
       E
   A
   IS
cantEM
 vendAM
 partAM
       E
   A
   M



Eu canto (- o + e) = que eu cante, tu cantes, ele cante, nós cantemos, vós canteis, eles cantem
Eu vendo (- o + a) = que eu venda, tu vendas, ele venda, nós vendamos, vós vendais, eles vendam
Eu sorrio (-o + a) = que eu sorria, tu sorrias, ele sorria, nós sorriamos, vós sorriais, eles sorriam
Exceções:
querer = Eu quero / queira, queiras, queira, queiramos, queirais, queiram.
ir = Eu vou / vá, vás, vá, vamos, vades, vão.
saber = Eu sei / saiba, saibas, saiba, saibamos, saibais, saibam.
ser = Eu sou / seja, sejas, seja, sejamos, sejais, sejam.
haver = Eu hei / haja, hajas, haja, hajamos, hajais, hajam.

Pretérito Imperfeito do Subjuntivo
 - Expressa um fato passado mas posterior a outro já ocorrido.
Eu esperava que ele vencesse o jogo.
O pretérito imperfeito é também usado nas construções em que se expressa a idéia de condição ou desejo.
Se ele viesse ao clube, participaria do campeonato.

Pretérito Perfeito (composto) do Subjuntivo - Expressa um fato totalmente terminado num momento passado.
Embora tenha estudado bastante,  não passou no teste.

Pretérito Mais-Que-Perfeito (composto) do Subjuntivo - Expressa um fato ocorrido antes de outro fato já terminado.
Embora o teste já tivesse começado, alguns alunos puderam entrar na sala de exames.

Futuro do Presente (simples) do Subjuntivo - Enuncia um fato que pode ocorrer num momento futuro em relação ao atual.
Quando ele vier à loja, levará as encomendas.

Obs.: O futuro do presente do Subjuntivo é também usado em frases que indicam possibilidade ou desejo.
Se ele vier à loja, levará as encomendas.

Futuro do Presente (composto) do Subjuntivo - Enuncia um fato posterior ao momento atual mas já terminado antes de outro fato futuro.
Quando ele tiver saído do hospital, nós o visitaremos.


MODO IMPERATIVO para ordem, pedido: Trabalhem com afinco...Sejam estudiosos...
Imperativo Afirmativo ou Positivo
Para se formar o imperativo afirmativo, toma-se do presente do indicativo a 2ª pessoa do singular (tu) e a segunda pessoa do plural (vós) eliminando-se o "S" final. As demais pessoas vêm, sem alteração, do presente do subjuntivo.
Imperativo Negativo
Para se formar o imperativo negativo, basta antecipar a negação às formas do presente do subjuntivo.

Observações : 
O verbo ser no imperativo faz, excepcionalmente: sê (tu), sede (vós).
No modo imperativo não faz sentido usar na 3ª pessoa (singular e plural) as formas ele/eles, pois uma ordem, pedido ou conselho só se aplicam diretamente à pessoa com quem se fala. Por essa razão, utiliza-se você/vocês.


Há ainda três formas nominais: 
Infinitivo
Gerúndio 
Particípio

Infinitivo
Infinitivo Impessoal
Quando se diz que um verbo está no infinitivo impessoal, isso significa que ele apresenta sentido genérico ou indefinido, não relacionado a nenhuma pessoa, e sua forma é invariável. Assim, considera-se apenas o processo verbal.
Amar é sofrer.

    Observações importantes:
    O infinitivo impessoal é usado:
    1. Quando apresenta uma ideia vaga, genérica, sem se referir a um sujeito determinado






    Querer é poder
    Fumar prejudica a saúde. 
    É proibido colar cartazes neste muro.

    2. Quando tiver o valor de Imperativo;






    Soldados, marchar! (= Marchai!)

    3. Quando é regido de preposição e funciona como complemento de um substantivo, adjetivo ou verbo da oração anterior;







    Eles não têm o direito de gritar assim.
    As meninas foram impedidas de participar do jogo.
    Eu os convenci a aceitar.

    No entanto, na voz passiva dos verbos "contentar", "tomar" e "ouvir", por exemplo, o Infinitivo (verbo auxiliar) deve ser flexionado.







    Eram pessoas difíceis de serem contentadas.
    Aqueles remédios são ruins de serem tomados.
    Os CDs que você me emprestou são agradáveis de serem ouvidos.
    4. Nas locuções verbais;Queremos acordar bem cedo amanhã.
    Eles não podiam reclamar do colégio.
    Vamos pensar no seu caso.

    5. Quando o sujeito do infinitivo é o mesmo do verbo da oração anterior;
    Eles foram condenados a pagar pesadas multas.
    Devemos sorrir ao invés de chorar.
    Tenho ainda alguns livros por (para) publicar. 


    Quando o infinitivo preposicionado, ou não, preceder ou estiver distante do verbo da oração principal (verbo regente), pode ser flexionado para melhor clareza do período e também para se enfatizar o sujeito (agente) da ação verbal.

    Na esperança de sermos atendidos, muito lhe agradecemos.
    Foram dois amigos à casa de outro, a fim de jogarem futebol.
    Para estudarmos, estaremos sempre dispostos.
    Antes de nascerem, já estão condenadas à fome muitas crianças.

    6. Com os verbos causativos "deixar""mandar""fazer" e seus sinônimos que não formam locução verbal com o infinitivo que os segue;
    Deixei-os sair cedo hoje.
    7. Com os verbos sensitivos "ver""ouvir", "sentir" e sinônimos, deve-se também deixar o infinitivo sem flexão.
    Vi-os entrar atrasados.
    Ouvi-as dizer que não iriam à festa.

    Observações:
    a) É inadequado o emprego da preposição "para" antes dos objetos diretos de verbos como "pedir", "dizer", "falar" e sinônimos;
    Pediu para Carlos entrar. (errado)
    Pediu para que Carlos entrasse. (errado)
    Pediu que Carlos entrasse. (correto)

    b) Quando a preposição "para" estiver regendo um verbo, como na oração "Este trabalho é para eu fazer", pede-se o emprego do pronome pessoal "eu", que se revela, neste caso, como sujeito.
    Aquele exercício era para eu corrigir.
    Esta salada é para eu comer?
    Ela me deu um relógio para eu consertar.

    Atenção:
    Em orações como "Esta carta é para mim!", a preposição está ligada somente ao pronome, que deve se apresentar oblíquo tônico.



    Infinitivo Pessoal
    Apresenta desinências de número e pessoa.
    Veja:
    -Eu
    falar-esTu
    vender-Ele
    partir-mosNós
    -desVós
    -emEles









    Para ler melhor, eu uso estes óculos. (1ª pessoa)
    Para ler melhor, ela usa estes óculos. (3ª pessoa)

    Note: as regras que orientam o emprego da forma variável ou invariável do infinitivo não são todas perfeitamente definidas. Por ser o infinitivo impessoal mais genérico e vago, e o infinitivo pessoal mais preciso e determinado, recomenda-se usar este último sempre que for necessário dar à frase maior clareza ou ênfase.

    Quando se diz que um verbo está no infinitivo pessoal, isso significa que ele atribui um agente ao processo verbal, flexionando-se.

    O infinitivo deve ser flexionado nos seguintes casos:
    1. Quando o sujeito da oração estiver claramente expresso;






    Se tu não perceberes isto...
    Convém vocês irem primeiro.
    O bom é sempre lembrarmos desta regra (sujeito desinencial, sujeito implícito = nós)

    2. Quando tiver sujeito diferente daquele da oração principal;






    O professor deu um prazo de cinco dias para os alunos estudarem bastante para a prova.
    Perdoo-te por me traíres.
    O hotel preparou tudo para os turistas ficarem à vontade.

    O guarda fez sinal para os motoristas pararem.

    3. Quando se quiser indeterminar o sujeito (utilizado na terceira pessoa do plural);






    Faço isso para não me acharem inútil.
    Temos de agir assim para nos promoverem.
    Ela não sai sozinha à noite a fim de não falarem mal da sua conduta.

    4. Quando apresentar reciprocidade ou reflexibilidade de ação;






    Vi os alunos abraçarem-se alegremente.
    Fizemos os adversários cumprimentarem-se com gentileza.
    Mandei as meninas olharem-se no espelho.

    Nota: como se pode observar, a escolha do Infinitivo Flexionado é feita sempre que se quer enfatizar o agente (sujeito) da ação expressa pelo verbo.
    DICAS:
    a) Se o infinitivo de um verbo for escrito com "j", esse "j" aparecerá em todas as outras formas.






    Enferrujar: enferrujou, enferrujaria, enferrujem, enferrujarão, enferrujassem, etc. (Lembre, contudo, que o substantivo ferrugem é grafado com "g".)
    Viajar: viajou, viajaria, viajem ( 3ª pessoa do plural do presente do subjuntivo, não confundir com o substantivo viagem) viajarão, viajasses, etc.

    b) Quando o verbo tem o infinitivo com "g", como em "dirigir" e "agir" este "g" deverá ser trocado por um "j" apenas na primeira pessoa do presente do indicativo.






    eu dirijo/ eu ajo
    c) O verbo "parecer" pode relacionar-se de duas maneiras distintas com o infinitivo.
    - Quando "parecer" é verbo auxiliar de um outro verbo: Elas parecem mentir.
    - Elas parece mentirem - Neste exemplo ocorre, na verdade, um período composto. "Parece" é o verbo de uma oração principal cujo sujeito é a oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo "elas mentirem". Como desdobramento dessa reduzida, podemos ter a oração "Parece que elas mentem."

    VOZES

    As vozes verbais indicam se o sujeito pratica ou recebe a ação.



    Termo 1
    Termo 2
    Termo 3
    Voz ativa
    Aquelas pessoas
    venceram
    a doença
    Voz passiva
    A doença
    foi vencida
    por aquelas pessoas
    Veja que os termos são os mesmos, mas a ordem deles, da voz ativa para a passiva, alterou-se.
     Em sintaxe, cada um destes termos tem a seguinte nomenclatura, uma para voz ativa e outra para a voz passiva:

    Termo 1
    Termo 2
    Termo 3
    Voz ativa
    Sujeito ativo
    Verbo ativo
    Objeto direto
    Voz passiva
    Sujeito passivo
    Verbo passivo
    Agente passivo


    Voz ativa, quando o sujeito pratica a ação: O professor elogiou o aluno.

    Voz passiva, quando o sujeito recebe a ação: O aluno foi elogiado pelo professor...
    Voz Passiva Analítica
    Sujeito Verbo + verbo auxiliar Agente da passiva
    A moça foi beijada pelo rapaz.

    Voz Passiva Sintética
    Verbo Se Sujeito paciente
    Vende - se casa.
    1- Voz Passiva Analítica
    Constrói-se da seguinte maneira: Verbo SER + particípio do verbo principal.

    A escola será pintada.
    O trabalho é feito por ele
    .

    Obs. : o agente da passiva geralmente é acompanhado da preposição por, mas pode ocorrer a construção com a preposição de.

    A casa ficou cercada de soldados.
    - Pode acontecer ainda que o agente da passiva não esteja explícito na frase.

    A exposição será aberta amanhã.
    - A variação temporal é indicada pelo verbo auxiliar (SER), pois o particípio é invariável. Observe a transformação das frases seguintes:
    a)Ele fez o trabalho. (pretérito perfeito do indicativo)
    O trabalho foi feito por ele. (pretérito perfeito do indicativo)
    b)Ele faz o trabalho. (presente do indicativo)
    O trabalho é feito por ele. (presente do indicativo)
    c)Ele fará o trabalho. (futuro do presente)
    O trabalho será feito por ele. (futuro do presente)
    - Nas frases com locuções verbais, o verbo SER assume o mesmo tempo e modo do verbo principal da voz ativa. Observe a transformação da frase seguinte:

    O vento ia levando as folhas. (gerúndio)
    As folhas iam sendo levadas pelo vento. (gerúndio)

    Obs.: é menos frequente a construção da voz passiva analítica com outros verbos que podem eventualmente funcionar como auxiliares.
    Por exemplo:

    A moça ficou marcada pela doença.
    2- Voz Passiva Sintética
    A voz passiva sintética ou pronominal constrói-se com o verbo na 3ª pessoa, seguido do pronome apassivador SE.
    Abriram-se as inscrições para o concurso.
    Destruiu-se o velho prédio da escola.

    Obs.: o agente não costuma vir expresso na voz passiva sintética.
      
    Pode-se mudar a voz ativa na passiva sem alterar substancialmente o sentido da frase.
    Por exemplo:


    Gutenberginventoua imprensa   (Voz Ativa)
    Sujeito da AtivaObjeto Direto   
    A imprensafoi inventadapor Gutenberg   (Voz Passiva)
    Sujeito da PassivaAgente da Passiva

    Obs.: quando o sujeito da voz ativa for indeterminado, não haverá complemento agente na passiva.

    - Prejudicaram-me.
    Fui prejudicado.

    Voz reflexiva, quando o sujeito pratica e recebe a ação:
            Dedicou-se aos estudos.
            Ele se queixa.
            Ela se feriu. 
            Eu me arrependi.


    Observações:
    1) Os verbos que não são ativos nem passivos ou reflexivos, são chamados neutros.

    O vinho é bom.
    Aqui chove muito.

    2) Há formas passivas com sentido ativo:

    É chegada a hora. (= Chegou a hora.)
    Eu ainda não era nascido. (= Eu ainda não tinha nascido.)
    És um homem lido e viajado. (= que leu e viajou)

    3) Inversamente, usamos formas ativas com sentido passivo:

    Há coisas difíceis de entender. (= serem entendidas)
    Mandou-o lançar na prisão. (= ser lançado)

    4) Os verbos chamar-se, batizar-se, operar-se (no sentido cirúrgico) e vacinar-se são considerados passivos, logo o sujeito é paciente.


    Chamo-me Luís.
    Batizei-me na Igreja do Carmo.
    Operou-se de hérnia.
    Vacinaram-se contra a gripe.
    ____________________________________________________
    Na voz ativa, como já  exemplificamos acima, os tempos verbais são compostos pelos verbos auxiliares ter ou haver + o verbo principal.
    Já na voz passiva, os tempos compostos são formados pelos verbos auxiliares ter ou haver + ser + verbo principal no particípio.
    • Temos sido beneficiados com o trabalho deste delegado.
    • As vendas têm aumentado bastante no último mês
    Pode ser acompanhado por um verbo no infinitivo ou no gerúndio, formando o futuro breve (infinitivo) e progressividade (gerúndio):
    Eles iam construindo/construir a casa com tijolos.
    Ela irá esquentando/esquentar a comida.

    ____________________________________________________


    MORFOLOGIA
    Quanto à morfologia, classificam-se em:
    1. Regulares: quando flexionam-se de acordo com o paradigma da conjugação.
    ESTUDAR – eu estudo, tu estudas, ele estuda, nós estudamos...

    2. Irregulares: quando não seguem o paradigma da conjugação.
    CABER – eu caibo... MEDIR – eu meço...

    3. Anômalos: quando sofrem modificação também no radical.
    Os verbos anômalos são aqueles que apresentam mais de um radical quando são conjugados. São apenas dois: IR e SER. Abaixo as conjugações do verbo IR: IR – eu vou... SER – eu sou...



    MODO INDICATIVO
    Presente

    Pretérito
    Pretérito

    Pretérito mais-
    Futuro do
    Futuro do


    imperfeito
    perfeito

    que-perfeito
    presente
    pretérito
    Vou

    Ia
    Fui

    Fora
    Irei
    Iria
    Vais

    Ias
    Foste

    Foras
    Irás
    Irias
    Vai

    Ia
    Foi

    Fora
    Irá
    Iria
    Vamos

    Íamos
    Fomos

    Fôramos
    Iremos
    Iríamos
    Ides

    Íeis
    Fostes

    Fôreis
    Ireis
    Iríeis
    Vão

    Iam
    Foram

    Foram
    Irão
    Iriam

    QUE

    SE
    QUANDO









    MODO SUBJUNTIVO


    Presente


    Pretérito imperfeito
    Futuro



    Fosse


    For

    Vás


    Fosses


    Fores



    Fosse


    For

    Vamos


    Fôssemos


    Formos

    Vades


    Fosseis


    Fordes

    Vão


    Fossem


    Forem




    MODO IMPERATIVO
    Afirmativo

    Negativo
    Vai

    Não vás

    Não vá
    Vamos

    Não vamos
    Ide

    Não vades
    Vão

    Não vão




    4. Abundantes: quando possuem mais de uma forma de conjugação.
    ACENDIDO – ACESO, INCLUÍDO – INCLUSO

    São aqueles que possuem mais de uma forma com o mesmo valor. Geralmente, esse fenômeno costuma ocorrer no particípio, em que, além das formas regulares terminadas em -ado ou -ido, surgem as chamadas formas curtas (particípio irregular).

    Observe:
    INFINITIVO
    PARTICÍPIO REGULAR
    PARTICÍPIO IRREGULAR
    Anexar
    Anexado
    Anexo
    Dispersar
    Dispersado
    Disperso
    Eleger
    Elegido
    Eleito
    Envolver
    Envolvido
    Envolto
    Imprimir
    Imprimido
    Impresso
    Matar
    Matado
    Morto
    Morrer
    Morrido
    Morto
    Pegar
    Pegado
    Pego
    Soltar
    Soltado
    Solto

    5. Defectivos: quando não são conjugados em todas formas.
    Os verbos defectivos (que têm defeito) são aqueles que não possuem a conjugação completa. São aqueles que não apresentam conjugação completa. Classificam-se em impessoais, unipessoais pessoais.

    PRECAVER
    MODO INDICATIVO
    Presente
    Pretérito
    Pretérito
    Pretérito mais-
    Futuro do
    Futuro do

    imperfeito
    perfeito
    que-perfeito
    presente
    pretérito
    Não tem
    Precavia
    Precavi
    Precavera
    Precaverei
    Precaveria
    Não tem
    Precavias
    Precaveste
    Precaveras
    Precaverás
    Precaverias
    Não tem
    Precavia
    Precaveu
    Precavera
    Precaverá
    Precaveria
    Precavemos
    Precavíamos
    Precavemos
    Precavêramos
    Precaveremos
    Precaveríamos
    Precaveis
    Precavíeis
    Precavestes
    Precavêreis
    Precavereis
    Precaveríeis
    Não tem
    Precaviam
    Precaveram
    Precaveram
    Precaverão
    Precaveriam



    MODO SUBJUNTIVO

    Presente
    Pretérito imperfeito
    Futuro
    Não existe conjugação no
    Precavesse
    Precaver
    presente do subjuntivo
    Precavesses
    Precaveres

    Precavesse
    Precaver

    Precavêssemos
    Precavermos

    Precavêsseis
    Precaverdes

    Precavessem
    Precaverem

    No MODO IMPERATIVO o verbo PRECAVER só possui a 2ª pessoa do plural do imperativo afirmativo: precavei.


    Impessoais: São os verbos que não têm sujeito. Normalmente, são usados na terceira pessoa do singular. Os principais verbos impessoais são:

    a) haver, quando sinônimo de existir, acontecer, realizar-se ou fazer (em orações temporais).
    Havia poucos ingressos à venda. (Havia = Existiam)
    Houve duas guerras mundiais. (Houve = Aconteceram)
    Haverá reuniões aqui. (Haverá = Realizar-se-ão)
    Deixei de fumar  muitos anos. ( = faz)

    b) fazer, ser e estar (quando indicam tempo)
    Faz invernos rigorosos no Sul do Brasil.
    Era primavera quando a conheci.
    Estava frio naquele dia.

    c) Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza são impessoais: chover, ventar, nevar, gear, trovejar, amanhecer, escurecer, etc. Quando, porém, se constrói, "Amanheci mal-humorado", usa-se o verbo "amanhecer"em sentido figurado. Qualquer verbo impessoal, empregado em sentido figurado, deixa de ser impessoal para ser pessoal.
    Amanheci mal-humorado. (Sujeito desinencial: eu)
    Choveram candidatos ao cargo. (Sujeito: candidatos)
    Fiz quinze anos ontem. (Sujeito desinencial: eu)

    d) São impessoais, ainda:
    1. o verbo passar (seguido de preposição), indicando tempo. Ex.: Já passa das seis.
    2. os verbos bastar e chegar, seguidos da preposição de, indicando suficiência. 
    Basta de tolices. 
    Chega de blasfêmias.
    3. os verbos estar e ficar em orações tais como Está bem, Está muito bem assim, Não fica bem, Fica mal, sem referência a sujeito expresso anteriormente. Podemos, ainda, nesse caso, classificar o sujeito como hipotético, tornando-se, tais verbos, então, pessoais.
    4. o verbo deu + para da língua popular, equivalente de "ser possível". 
    Não deu para chegar mais cedo.
    Dá para me arrumar uns trocados?

    Unipessoais: São aqueles que, tendo sujeito, se conjugam apenas  nas terceiras pessoas, do singular e do plural.
    A fruta amadureceu.
    As frutas amadureceram.

    Os verbos unipessoais podem ser usados como verbos pessoais na linguagem figurada:
    Teu irmão amadureceu bastante.

    Entre os unipessoais estão os verbos que significam vozes de animais; eis alguns:
    bramar: tigre
    bramir: crocodilo
    cacarejar: galinha
    coaxar: sapo
    cricrilar: grilo

    Os principais verbos unipessoais são:
    1. cumprir, importar, convir, doer, aprazer, parecer, ser (preciso, necessário, etc.).
    Cumpre trabalharmos bastante. (Sujeito: trabalharmos bastante.)Parece que vai chover. (Sujeito: que vai chover.)Épreciso que chova. (Sujeito: que chova.)
    2. fazer e ir, em orações que dão idéia de tempo, seguidos da conjunção que.
    Faz dez anos que deixei de fumar. (Sueito: que deixei de fumar.)Vai para (ou Vai em ou Vai por) por dez anos que não vejo Cláudia. (Sujeito: que não vejo Cláudia)
    Obs.: Todos os sujeitos apontados são oracionais.

    Pessoais: Não apresentam algumas flexões por motivos morfológicos ou eufônicos.

    FALIR – não possui 1ª, 2ª e 3ª pessoa do pres. do indicativo e pres. do subjuntivo.

    Este verbo teria como formas do presente do indicativo falo, fales, fale, idênticas às do verbo falar - o que provavelmente causaria problemas de interpretação em certos contextos.
      
    COMPUTAR
    Este verbo teria como formas do presente do indicativo computo, computas, computa - formas de sonoridade considerada ofensiva por alguns ouvidos gramaticais. Essas razões muitas vezes não impedem o uso efetivo de formas verbais repudiadas por alguns gramáticos: exemplo disso é o próprio verbo computar, que, com o desenvolvimento e a popularização da informática, tem sido conjugado em todos os tempos, modos e pessoas.

    PRONOMES OBLÍQUOS ÁTONOS
    1- Por fazerem parte integrante do verbo, os pronomes oblíquos átonos dos verbos pronominais não possuem função sintática.
    2- Há verbos que também são acompanhados de pronomes oblíquos átonos, mas que não são essencialmente pronominais, são os verbos reflexivos. Nos verbos reflexivos, os pronomes, apesar de se encontrarem na pessoa idêntica à do sujeito, exercem funções sintáticas.

    Eu me feri. -----
    Eu (sujeito)-1ª pessoa do singular     me (objeto direto) - 1ª pessoa do singular


    ______________________________________________________ VERBOS DICENDI

    EXERCÍCIOS DE REVISÃO 01

    EXERCÍCIOS 01



    AVALIAÇÃO
    https://forms.office.com/Pages/ResponsePage.aspx?id=3C52UFD5SE-0Oew0IoJgDLnHRkImx0xBihzDrkkUvUdUQkpUV0dCWlk5STVMMjlaUzBZQ0JOTlNERS4u


    Fonte:
    CEREJA, William Roberto. Português: Linguagens: volume 1 e 2: ensino médio / William Roberto Cereja, Thereza Cochar Magalhães. – 5. ed. – São Paulo: Atual, 2005.
    ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. 45ª ed. – Rio de Janeiro: José Olympio, 20






    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Grata pela sua participação.
    []s.
    Katty Rasga