terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Jogo de LITERATURA

Você se lembra de personagens, acontecimentos e estilos de escrita dos clássicos que já leu ou ouviu falar? Neste jogo, avalie seu conhecimento sobre 25 livros nacionais e estrangeiros relacionando os trechos apresentados às respectivas obras. Bom jogo!

Referência:

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Premiação do Concurso de Desenho “Patrimônio Cultural"

Desenho premiado de Natielle Somnium , aluna da EEMI "Profª Ilza Irma Moeller Cóppio".
Exposição  no Espaço Cultural Mário Covas (Pça. Afonso Pena, 29 – Centro - São José dos Campos/SP) Em cartaz até 4 de janeiro.

APRESENTAÇÕES DE LITERATURA - DIÁRIO DE ANNE FRANK

1ºC e 1ºD

DIÁRIO DE ANNE FRANK  1947 

Tamanho: 1 Mb - Formato : Rar/PDF - ZIPPYSHARE – DOWNLOAD


ANNELISE MARIA FRANKc remembered

 Nasceu dia 12 de junho de 1929 em Frankfurt am Main (Hesse). Filha de Otto Heinrich Frank e de Edith Frank-Hollander, tinha uma irmã chamada Margot Frank e era uma família judiaAnne e sua família, juntamente com mais quatro pessoas,(Peter, Dussel, Sr. e Sra. Van Pels) viveram 25 meses, durante a Segunda Guerra Mundial, num anexo de quartos por cima do escritório do pai dela, em Amsterdã, nos Países Baixos, denominado Anexo Secreto.  Em seu aniversário de 13 anos (junho de 1942), ganhou um diário, apelidado de "Kitty". Anne escreveu seu dia-a-dia .


Diário de Anne Frank revisitado em desenho animado:
O Museu Anne Frank (Anne Frank House), em Amsterdã, lança uma versão em quadrinhos e em desenho:
O Anexo Secreto virou museu e pode ser visitado
em Amsterdã.

Exposição recria vida da família de Anne Frank na fuga do nazismo

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

SARAU

DRUMMOND - Jogral com Diogo, Danielle, Rafaele, Enya, Rubiana, Isabella, Mª Eduarda.

Gabriel Sales
Profª Nádia (Sala de Leitura)

Vinícius, Rafaele, Rubiana, Isabela.
Nathalia

Ana Luísa e Keilla
Larissa (violino), Nadine (flauta) e Vinícius (violão)

Pronomes no português brasileiro.


Segundo Marcos Bagno
O Sistema pronominal do português brasileiro contemporâneo:

Bagno completa que tem "certeza de que qualquer cidadão brasileiro falante de português vai reconhecer nesse quadro os usos que ele mesmo faz dos pronomes pessoais (eventualmente pode até achar “errado”, “feio”, “vulgar” ou o que for, mas tem de reconhecer, em nome da honestidade, que é assim que se fala no Brasil!)."

BAGNO, Marcos.PRONOMES BRASILEIROS, POR FAVOR! III


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

RESENHA


SD - RESENHA/LP - trabalho interdisciplinar (LP e GEO) desenvolvido com alunos dos 1ºs EM da EMI "Profª Ilza Irma Moeller Cóppio".

CABEÇALHO (lado direito da página)
       Nome da instituição
       Informações técnicas da obra
       Objetivo do trabalho
       Local, data.

(lado esquerdo da página)
    Nome do autor da resenha

(centralizado - em negrito)
    Título da resenha

CREDENCIAIS DO AUTOR
       Quem é
       Títulos
       De onde é
       Onde faz pesquisas
       Onde leciona
       O que publicou
       Qual sua área/linha de pesquisa
       De que se trata

RESUMO DA OBRA
       Qual sua característica principal
       Qual a perspectiva de tratamento do tema
       Qual o problema focado
       Qual o objetivo do autor
Descrição do conteúdo

ANÁLISE E ARGUMENTAÇÃO
    Identificar  os pontos positivos e negativos
    Como a linguagem é empregada
    Que tipo de público deseja atingir
    Quais os pontos que chamaram a sua atenção
    Contexto histórico social abordado
    Mensagem subliminares
    Contribuição da obra para a área?
    Coerência interna
    Originalidade do texto
    Alcance do texto
    Relevância do texto
    Conclusão está apoiada em argumentos/ fatos

INDICAÇÕES DO RESENHISTA
       A quem é dirigida a obra
       Exige conhecimento mais profundo sobre o assunto?
       Linguagem é acessível?




MODELO DE RESENHA 2013

PPT RESENHA - MÃOS À OBRA

RESENHAS DE FILMES

RESENHA LIVROS

RESENHA HQ

Exemplos de resenha do vídeo: 01, 02, 03, 04
Resumo do vídeo: 01, 02

Relacionado: DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA

VÍDEO A SER RESENHADO:

http://storyofstuff.org/
LEONARD, Annie. Tides Foundation - Funders Workgroup For Sustainable Production And Consumption . "The story of stuff". Free Rande Studios. USA.

TRANSCRIÇÃO DO VÍDEO

Annie Leonard

MODELO PARA A RESENHA

FILME E DOCUMENTÁRIO (INDICADOS PARA REFLEXÃO A RESPEITO DO CONSUMISMO)
“Amor por contrato” (The Joneses), de Derrick Borte, que conta a história de uma família criada para impressionar e vender um estilo de vida. 
Já o documentário “Criança, a alma do negócio”, dirigido por Estela Renner, é um exemplo interessante para discutir a questão do consumismo, com atenção especial aos efeitos deste na infância e adolescência.

Para +reflexão
2. Quais são as origens dessa tendência consumista?
A origem da tendência de compulsão pelo ato de comprar tem suas origens na história da humanidade. Após os eventos da Revolução Industrial, os processos de produção e circulação de bens foram agilizados. Com o avanço da produção, houve um grande distanciamento das pessoas e do conhecimento em relação aos meios de produção. Para entender como isso se deu, basta pensar o quanto você conhece, por exemplo, dos processos de produção das coisas que você compra. Você sabe como são fabricados os produtos de higiene, alimentação, itens de decoração e outros? Conhece as formas de distribuição, importação e exportação? É justamente esse desconhecimento que historicamente foi denominado alienação. A alienação é a principal dimensão do consumismo, está na base da compra desvinculada da necessidade e do desconhecimento em relação ao valor de compra e de uso.
Ainda discutindo a história da tendência consumista, podemos destacar a vinculação da possibilidade de comprar ao poder, já que, por muitos anos, o consumo era privilégio de classes mais ricas. Com o desenvolvimento econômico, da produção e da publicidade, as distâncias foram sendo diminuídas. O que se pode perceber na atualidade é um nivelamento de desejos: crianças pobres e ricas querem os mesmos brinquedos, adultos de classes sociais distintas têm as mesmas vontades, reforçadas pelos modelos e padrões de vida apresentados pela mídia, como os gostos e hábitos de celebridades.

INICIEN

VENCEDOR DO INICIEN 2013
Projeto SINAL VERDE
EEMI Profª Ilza Irma Moeller

Alunos: Ítalo, Cindy e Lucas
1º LUGAR

Alunos: Ana, Giovani e Gabriel
2º LUGAR









segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Olimpíada de Química 2014

Olimpíada de Química SP-2014

As Olimpíadas de Química são atividades científico/culturais de caráter competitivo para estudantes de ensino médio (antigo 2º grau) e de séries finais do ensino fundamental. Delegações de aproximadamente 70 países participam anualmente da Olimpíada Internacional de Química (IChO), entre eles, o Brasil. Os representantes brasileiros na IChO tem que vencer primeiro a Olimpíada Brasileira de Química (OBQ), da qual  participam, por sua vez, os ganhadores das Olimpíadas Estaduais de Química e os vencedores da Olimpíada Brasileira de Química Júnior. 

PRODUÇÃO DE TEXTO

NORMAS PARA A REDAÇÃO

Dez cisões para o ensino - por Marcos Bagno



Dez cisões propostas por Bagno para um ensino mais consciente e menos preconceituoso:

1) Conscientizar-se de que todo falante nativo de uma língua é um usuário competente dessa língua, por isso ele SABE essa língua. Com mais ou menos quatro anos de idade, uma criança já domina integralmente a gramática de sua língua. Sendo assim,
2) Não existe erro de português. Existem diferentes gramáticas para as diferentes variedades de português, gramáticas que dão conta dos usos que diferem da alternativa única proposta pela Gramática Normativa.
3) Não confundir erro de português (que, afinal, não existe) com simples erro de ortografia. A ortografia é artificial, ao contrário da língua, que é natural. A ortografia é uma decisão política, por isso ela pode mudar de uma época para outra. Línguas que não têm sistema escrito nem por isso deixam de ter sua gramática.
4) Tudo o que os gramáticos conservadores chamam de erro é na verdade um fenômeno que tem uma explicação científica perfeitamente demonstrável. Nada é por acaso.
5) Toda língua muda e varia. O que hoje é visto como certo já foi erro no passado. O que hoje é visto como erro pode vir a ser perfeitamente aceito como certo no futuro da língua.
6) A língua portuguesa não vai nem bem, nem mal. Ela simplesmente VAI, isto é, segue seu caminho, transformando-se segundo suas próprias tendências internas.
7) Respeitar a variedade lingüística de uma pessoa é respeitar a integridade física e espiritual dessa pessoa como ser humano digno de todo respeito, porque
8) A língua permeia tudo, ela nos constitui enquanto seres humanos. Nós somos a língua que falamos. Enxergamos o mundo através da língua. Assim,
9) O professor de português é professor de TUDO. Por isso talvez devesse ter um salário igual à soma dos salários de todos os demais professores.
10) Ensinar bem é ensinar para o bem. É valorizar o saber intuitivo do aluno e não querer suprimir autoritariamente sua língua materna, acusando-a de ser "feia" e "corrompida". O ensino da norma culta tem de ser feito como um acréscimo à bagagem lingüística da pessoa e não como uma substituição de uma língua "errada" por uma "certa".

Referência: Bagno, Marcos. PRECONCEITO LINGUÍSTICO. Edições Loyola. São Paulo. 2007.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

ENEM COMENTADO

PROVA 2013

CRASE


......... segundo Marcos Bagno: "o ensino transmissivo de gramática normativa não tem lugar na educação linguística de pessoas que ainda estão se apoderando das habilidades de leitura e de escrita."

Entretanto, os textos dos alunos me dizem que é preciso aprender como usar o acento indicador de crase:



Crase 01

Crase 02


TABELA DAS REGRAS DE USO 

Segundo Marcos Bagno:
A preposição a já cedeu boa parte de seus usos para a preposição para
Ex.: Nas construções dativas (naquelas em que queremos designar o destinatário ou o interessado na ação expressa pelo verbo)
Com verbos como dar, entregar, ceder, escrever, falar, dizer, enviar, mandar etc., empregamos com frequência cada vez maior a preposição para e não a preposição a.
"Dei o livro para o Pedro", 
"Entreguei a encomenda para  o diretor",  
"Enviei uma mensagem para a loja", 
"Ele disse para você que não vinha?", 
"Vou mandar esses pacotes para a escola" etc.

Nas construções em que está expressa a noção de movimento e/ou direção, a preposição a também vem sendo substituída pelas preposições para e em
"Cheguei em Brasília ontem", 
"Vou no cinema", 
"Vamos para a sala tomar o café?" etc.

Assim como:
"falar no telefone", "escrever no computador", "descansar na sombra de uma árvore", "comer na mesa da sala", "prender o quadro na parede", "prestar atenção no discurso", "bater na porta" com muito mais frequência do que "ao telefone", "ao computador", "à sombra" etc.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

PROJETO MINICONTOS MULTIMODAIS

PROJETO - de 21.10 a 05.11
Caros alunos,

Vamos realizar um projeto que tem como objetivo  promover na escola, além do letramento escolar, os multiletramentos, apresentamos uma proposta de trabalho de leitura e produção envolvendo as multissemioses, possibilitando aos alunos o enfrentamento  (CANCLINI,
2008,p.12) das semioses emergentes na alta modernidade.

Assim, a proposta é a leitura do cotidiano com leitura de música, de fotografia, de textos, de imagens, de vídeos e de sons que poderão auxiliá-los a desenvolverem competências básicas para lidar com a leitura de maneira crítica e protagonista.

Sequência didática:
• apresentação do gênero miniconto;
• interpretação de minicontos;
• confronto do miniconto com o conto;
• exibição de um miniconto em vídeo;
•produção de um miniconto em vídeo (fase de preparação, produção e revisão). 



qVisite os endereços abaixo;
eLeia três minicontos;
eFaça a compreensão e entendimento dos textos;
eSocialize com os colegas e professora;
eObserve as características do gênero.

• http://twitter.com/minicontos
• http://minicontos.blogspot.com/
• http://miniminimos.blogspot.com/
• http://www.oinstituto.org.br/enter/

Minicontos: 

Fonte:"http://minicontos.blogspot.com.br/"


O gênero possui finalidades  sociocomunicativas definidas, estrutura organizacional recorrente e estilo próprio. Ao sistematizá-lo o aluno desenvolve sua competência comunicativa, uma vez que o gênero reflete as práticas de linguagem sociohistóricas.

Listar características desse gênero

q Ouça a música abaixo e discuta com o grupo a letra.
Música COTIDIANO(Composição:Chico Buarque)




A
Todo dia ela faz tudo sempre igual:
Me sacode às seis horas da manhã,
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã.
Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar
E essas coisas que diz toda mulher.
Diz que está me esperando pr'o jantar
E me beija com a boca de café.
Todo dia eu só penso em poder parar;
Meio-dia eu só penso em dizer não,
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão.
Seis da tarde, como era de se esperar,
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão.
Toda noite ela diz pr'eu não me afastar;
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor.
Todo dia ela faz tudo sempre igual:
Me sacode às seis horas da manhã,
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã.
Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar
E essas coisas que diz toda mulher.
Diz que está me esperando pr'o jantar
E me beija com a boca de café.
Todo dia eu só penso em poder parar;
Meio-dia eu só penso em dizer não,
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão.
Seis da tarde, como era de se esperar,
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão.
Toda noite ela diz pr'eu não me afastar;
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor.
Todo dia ela faz tudo sempre igual:
Me sacode às seis horas da manhã,
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã.


NEM GRUPO

E você?
1. A que horas vocês geralmente acordam?
2. Vocês costumam fazer, assim como na letra, tudo sempre igual?
3. Será que mulher sempre diz as mesmas coisas? O que diz sua mãe?
4. O que se repete no seu cotidiano?
5. E como é o cotidiano escolar?

Observe e registre (foto, vídeo) por três dias (no mínimo).
para montar no movie maker.

Assista ao vídeo SEGUNDA-FEIRA


Atenção:
• em relação aos sons e músicas que compõem o vídeo,
• à escolha dos momentos do cotidiano para compor o vídeo 
• ao enquadramento das cenas;
• à ordem e montagem das cenas.

Proposta de produção
GÊNERO:  MINICONTO MULTIMODAL
TEMA: O COTIDIANO
PÚBLICO ALVO: GRUPO ESCOLA E COMUNIDADE
SUPORTE: Blog "Além do Giz"

 Produção do primeiro texto
GAcorde no grupo quem será o protagonista do vídeo;

A versão  final do texto escrito,  que já passou por revisões ( pelos alunos,  colaboradores  e professora) deverá ser enviada para kattyrasga.07@gmail.com .

Refacção do texto
Agora MÃOS À OBRA: Todos devem se envolver: roteiro, tomadas, ambientação....

Para finalizar
O grupo deve produzir cartazes e convites  impressos e digitais para a divulgação dos trabalhos.
No dia do evento, após a exibição dos minicontos em vídeo, os alunos poderão ainda propor uma discussão acerca do processo de produção do gênero miniconto multimodal.
Os minicontos serão divulgados aqui no Blog "Além do Giz".

REFERÊNCIA:

Rojo, Roxane e Moura, Eduardo. "Multiletramentos na escola"(2013). Capítulo 04: Minicontos multimodais: reescrevendo imagens cotidianas (4MB)  de ANAIR VALÊNIA MARTINS DIAS, CLÁUDIA GOULART MORAIS, VIVIANE RAPOSO PIMENTA & WALLESKA BERNARDINO SILVA" in http://www.parabolaeditorial.com.br/downloads/4MINICONTOSMODAIS.pdf

MULTILETRAMENTOS NA ESCOLA

Os capítulos 1,3,5,6,7 e 11 não possuem conteúdo digital.
para faze download dos arquivos basta clicar sobre o link com o botão direito do seu mouse  e selecionar salvar destino como
2. Blog nos anos iniciais do fundamental I: a reconstrução de sentido de um clássico infantilPARTE 1 (13MB)
PARTE 2 (13MB)
GISLAINE CRISTINA CORRER LORENZI & TAINÁ-REKÃ WANDERLEY DE PÁDUA
4. Minicontos multimodais: reescrevendo imagens cotidianas (4MB)ANAIR VALÊNIA MARTINS DIAS, CLÁUDIA GOULART MORAIS, VIVIANE RAPOSO PIMENTA & WALLESKA BERNARDINO SILVA
8. O manguebeat nas aulas de português: videoclipe e movimento cultural em redeMATERIAL PROFESSOR (1MB)
MATERIAL ALUNO (2MB)
ADRIANA TEIXEIRA & FERNANDA FÉLIX LITRON
9. A canção Roda-viva: da leitura às leituraS (500KB)ELIANE A. PASQUOTTE-VIEIRA, FLÁVIA DANIELLE SORDI SILVA & MARIA CRISTINA MACEDO ALENCAR