terça-feira, 15 de abril de 2014

REDAÇÕES - ENEM 2014

Da mesma forma que fazem todo ano, o IE - infoenem.com.br - separou 20 assuntos que são sérios candidatos a serem escolhidos como tema da redação do Enem 2014. E ressaltam que os assuntos abaixo relacionados são meras proposições, já que é muito difícil acertar a temática da Redação do ENEM. Entretanto, acreditam que a simples leitura desses temas e uma pequena reflexão sobre os mesmos podem contribuir de forma significativa para todos que irão realizar o exame em 2014, pois também podem fazer parte das questões da prova objetiva.
1- Consumo de álcool por adolescentes.
A lei é bem clara. No Brasil, o consumo de álcool é proibido aos menores de 18 anos. Mas, como todas sabem, essa é uma lei freqüentemente descumprida em todos os cantos do país. Textos de apoio mostrando os malefícios do consumo de bebidas alcoólicas por menores e discutindo maneiras de solucionar esse problema tem “cara” de tema de redação do Enem, não acha?
2- Analfabetismo funcional no Brasil
De maneira simplificada, podemos dizer que o analfabeto funcional é o indivíduo que, mesmo capaz de identificar letras e números, não consegue interpretar textos e realizar operações matemáticas mais elaboradas. Embora tenha mostrado alguma evolução nos últimos anos, o quadro brasileiro nesse assunto ainda é bastante preocupante. Um problema social tão relevante e ainda mais ligado a educação é, com certeza, um possível tema de redação do Enem.
3- Bullying nas escolas
Uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de forma repetitiva, pode ser chamada de Bullying. Que tal organizar suas idéias para propor uma solução para essa problemática que acontece corriqueiramente nas escolas brasileiras?
4- Consciência ambiental
Questões ambientais sempre são apostas de especialistas e professores para possíveis temas de redação dos vestibulares. E uma análise muito importante é a forma de como desenvolver a consciência ambiental nos cidadãos. Vale a pena refletir sobre isso para não ser pego de calça curta na hora da prova.
5- Desigualdade entre homens e mulheres no Brasil
Podem não ser muito nítidas, mas ainda existem muitas diferenças entre homens e mulheres no Brasil. Para se ter uma ideia, de acordo com O Índice Global de Desigualdade de Gênero 2013, o nosso país ocupa a 62° posição dentre 136 países! Um tema rico e com muita pesquisa que deve ser feita, principalmente por quem vai prestar o Enem 2014. Já ouviu falar da “Marcha das Vadias”, por exemplo?
6- O destino do lixo no Brasil
Outro assunto referente às questões ambientais e que merece bastante atenção. Você sabia que o Brasil, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), terá apenas 60% do seu lixo destinado corretamente em 2014?
7- Os limites do Humor
Segundo Chico Anysio, um dos maiores humoristas brasileiros de todos os tempos, o humor deve visar á critica, não à graça. Mas após várias polêmicas envolvendo humoristas e personalidades, cabe a pergunta: Qual o limite entre liberdade de expressão ou preconceito?
8- Manifestações populares
Após as manifestações ocorridas em todo o país no ano passado, voltou à tona a discussão da linha tênue entre protesto e vandalismo. Afinal, como manifestantes e agentes do estado devem agir nos momentos de tensão?
9- Os efeitos da Lei Maria da Penha
No ano passado, o tema da redação do Enem tratou sobre os efeitos da Lei Seca no Brasil. Dessa forma, os efeitos da Lei Maria da Penha, que endureceu as punições de violência contra a mulher, pode muito bem ser cobrada neste ano.
10- O caos da mobilidade urbana
Tema de redação no Enem tem que ter problemática social. E, dentre os problemas mais comuns nos grandes centros urbanos brasileiros, o caos da mobilidade urbana, seja pelo excesso de carros ou pela ineficiência dos transportes coletivos, merece muita atenção.
11- Os desafios da saúde pública brasileira
Outro problema social do nosso país e que pode perfeitamente virar tema da redação de 2014 é referente à saúde pública. Ainda mais com toda a polêmica da vinda dos médicos cubanos ao Brasil.
12- Variedade Lingüística: o modo de falar do brasileiro
A dimensão continental do Brasil faz com que nossa língua tenha diversas variantes. Afinal, o que é “certo” e “errado” na língua?
13- Grandes eventos esportivos no Brasil
Embora este tema tenha sido uma das maiores apostas em anos anteriores, vale lembrar que a copa acontece este ano. Logo, este assunto continua atual e muito polêmico. Quais são as vantagens e as heranças dos países que sediam esses grandiosos eventos?
14- Consumismo e ostentação
Com a polêmica em torno dos chamados “rolezinhos”, que tomou conta de todo o noticiário nacional, vem à tona toda uma discussão de uma mídia voltada ao consumismo e a ostentação, que acaba excluindo uma grande parcela da população que agora grita por reconhecimento.
15- Liberação da Maconha
O Uruguai e os estados americanos de Washington e Colorado liberaram o uso da maconha. Considerando toda a ineficiência no combate ao tráfico da droga, será que não vale à pena o Brasil seguir o mesmo caminho?
16- Os abusos nos trotes universitários
A aprovação no vestibular é, sem dúvida alguma, umas das maiores alegrias de um jovem. Mas como evitar os abusos dos trotes que já provocou até a morte de vários estudantes.
17- DSTs entre adolescentes
As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são consideradas como um dos maiores problemas de saúde pública em todo o mundo. E no Brasil, claro, não é diferente. Um tema de redação propondo intervenção e/ou conscientização nessa área tem “cara” do Enem.
18- Redução da maioridade penal
Com o grave problema da violência urbana brasileira, a discussão da redução da maioridade penal sempre é candidata a tema de redação do Enem, pois permanece atual, polêmica e com argumentos poderosos dos dois lados.
19- Água e sustentabilidade
O ano de 2013 foi o “ano da água”. Assim sendo, é importante os estudantes estarem antenados em todas as questões relacionadas à água, desde a localização das maiores reservas até as diversas formas de economizá-la no dia a dia.
20- Respeito aos benefícios oferecidos aos idosos e deficientes físicos
Outro assunto bem cotado, já que a lei brasileira que estabelece infração gravíssima, com pena de multa e suspensão do direito de dirigir pelo prazo de 6 (seis) meses, bem como a remoção do veículo que estacionar em locais privativos de pessoas portadoras de deficiência física ou de pessoas idosas, dificilmente é respeitada.
Estes são nossos palpites para o tema da redação deste ano. Podemos dizer que a preparação do Enem envolve duas frentes de estudo. Para conseguir escrever uma bela redação no dia do exame, duas dicas são fundamentais: Treinamento (escrevendo pelo menos uma redação por semana) e muita leitura (pois os temas sempre trazem uma problemática social e bastante atual).

Já a outra parte da preparação tem como foco os conteúdos do ensino médio e aparece no exame em 180 questões de múltipla escolha. Aqui, a recomendação é muito estudo e dedicação, em todas as disciplinas, principalmente resolvendo provas de edições anteriores.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Metodologias mais comuns no ensino de Língua Portuguesa

As aulas de Língua Portuguesa, desde o século 19, foram marcadas pelos métodos de ensino de leitura e escrita nos anos iniciais de escolaridade e normativos nos anos seguintes. Foram as pesquisas dos últimos 30 anos que mudaram esse enfoque. Leia o perfil de cada fase. 

MÉTODOS SINTÉTICOS Foram predominantes no ensino da leitura desde meados do século 19. A escrita era vista como uma habilidade motora que requeria prática mecânica. Passada a alfabetização, os alunos deveriam aprender regras gramaticais.
Foco A alfabetização se inicia com o ensino de letras e sílabas e sua correspondência com os sons para a leitura de sentenças. Nas séries finais, só os clássicos são trabalhados, já que a intenção é ensinar a escrever usando a língua culta e a ler para conhecer modelos consagrados.
Estratégia de ensino As técnicas de leitura adotadas desde cedo são a silábica, alfabética ou fônica. Os mais velhos copiam textos literários sem levar em conta o contexto e o interlocutor.

MÉTODOS ANALÍTICOSSurgiram no fim do século 19, em contraposição aos sintéticos. A alfabetização segue como uma questão de treino e o enfoque dos anos seguintes voltado ao debate das normas.
Foco A alfabetização parte do todo para o entendimento das sílabas e letras. Pouco muda nas técnicas para as séries finais do Ensino Fundamental.
Estratégia de ensino Mostrar pequenos textos, sentenças ou palavras para, então, analisar suas partes constituintes e o funcionamento da língua.

PROPOSTA CONSTRUTIVISTA
Ganhou força na década de 1980, com as pesquisas psicogenéticas e didáticas e a concepção interacionista de linguagem.
Foco O estudante deve refletir sobre o sistema de escrita, seus usos e suas funções. Os objetos de ensino são o sistema alfabético e os comportamentos leitores e escritores.
Estratégia de ensino Leitura e escrita feitas pelo professor, produção de textos, leitura (individual e coletiva) dos próprios estudantes e reflexão sobre a língua. Textos de diversos gêneros devem ser trabalhados desde o início da alfabetização até os anos finais.

sexta-feira, 28 de março de 2014

AGENDA DE PRODUÇÕES - ABRIL/MAIO

ATIVIDADES PERMANENTES
 Toda quinta-feira - avaliação- interpretação de texto -(20 min)
 Toda segunda-feira - 1 grupo por semana - todos os elementos do grupo deverão contar para a sala sobre uma NOTÍCIA atual lida.
Objetivo:  levar o aluno a leitura de notícias atuais e a socialização das notícias.
Evidências:
1. Trazer a notícia (jornal, texto da web ou suas anotações) para compor portfólio da sala.
2. Anotação de todos os temas apresentados pelos colegas para produção futura.

Para 28 de março - Análise  de jornal - grupo
 

Para 31 de março - Análise de notícia - individual
Análise de Notícia de jornal - Ana Paula 1ºB
1  De 24 a 31 de março 
Leitura - Crônicas - As Cem melhores crônicas brasileiras
de Joaquim Ferreira dos Santos
Editora OBJETIVA

Para 07 de abril - Notícia - grupo
              uso da fotojornalismo (março) e da legenda
              Tarefa - Oficina 1 e Oficina 2
Para 14 de abril - Crônica - grupo
Para 18 de abril - entrega por e-mai: integralsustentavel@gmail.com
Artigo de opinião - individual
Tema: Aborto




quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

AGENDA DE PRODUÇÕES - FEVEREIRO/MARÇO

Para 27 de fevereiro
PRODUÇÃO DE TEXTO: Artigo de opinião
em grupo
Tema: A polícia se excede contra os manifestantes ou cumpre seu papel?
Material de apoio:  Textos e Pesquisas do grupo
Enviar para: integralsustentavel@gmail.com
Assunto: Artigo de Opinião 1ª série ????
Exercícios de sala
Leitura de contos

Para 28 de fevereiro
PRODUÇÃO TEXTUAL NÃO VERBAL OU MISTA
INTERTEXTUALIDADE TEMÁTICA 
Traduzam o poema (um dos elencados abaixo)  em forma de imagem
Papel A4, que pode ser construída com lápis, tintas ou recortes.
Vamos escolher alguns trabalhos para expor no mural da classe.
Cabeçalho: lado direito/abaixo - nome, nº, série e turma - especificidades do trabalho 

Os critérios utilizados:
criatividade;
distribuição da figura na folha de papel;
fidelidade ao poema;
organização e limpeza na elaboração do trabalho.

- Palavras ao vento - Marisa Monte
- É fácil trocar as palavras - Fernando Pessoa
- A palavra é mágica - Carlos Drummond de Andrade
Exercícios de sala
Leitura de contos
Para 06 de março
PRODUÇÃO do Mapa da Lusofonia
Individual

—1 Para 10 de março
PRODUÇÃO : FOTOJORNALISMO
Uma (1) FOTOJORNALISMO relacionadas ao título: O sabor da escola
Além disso, a FOTOJORNALISMO necessita de legenda.
—Em grupo
Apresentação em “power  point” (PPT)
Duas lâminas/slides
- Título FOTOJORNALISMO / SÉRIE / NOME E NÚMERO DOS COMPONENTES DO GRUPO
2ª -  A FOTO  acompanhada de LEGENDA
ENVIAR para: integralsustentavel@gmail.com
Assunto: FOTOJORNALISMO 1ª SÉRIE ???
Exercícios de sala
Leitura de contos
De 10 a 14 de março - semana de avaliação
Exercícios de sala

Leitura de contos
até 14 de março - Poetando
Buscamos compreender neste trabalho, como se dá o deslizamento polissêmico nos procedimentos metafóricos da poesia Prazeres de Bertold Brecht, pensando o poético enquanto propriedade da língua, visto que, a linguagem não se apresenta como algo plano e de significado estático, mas, como algo opaco que é passível de significar de diversos modos a partir de sua condição de produção. Levamos em consideração a memória discursiva e o pré-construído da língua poética.   
Produção de textual: poema
Tema: Prazeres
Exercícios de sala
Leitura de contos
De 17 a 21 e 31 de março 
Exercícios de sala
Leitura de contos
Revisão da avaliação
De 24 a 28 de março
24/03 - conselho de classe
Análise de jornal - grupo
Análise de notícia - individual
Leitura de crônicas






sábado, 22 de fevereiro de 2014

SER PROFESSORA DE PORTUGUÊS




01 - Professora de português não nasce; deriva-se.
02 - Professora de português não cresce; vive gradações.
03 - Professora de português não se movimenta; flexiona-se.
04 - Professora de português não é filha de mãe solteira; resulta de uma derivação imprópria.
05 - Professora de português não tem família; tem parênteses.
06 - Professora de português não envelhece; sofre anacronismo.
07 - Professora de português não vê tv; analisa o enredo de uma novela.
08 - Professora de português não tem dor aguda; tem crônica.
09 - Professora de português não anda; transita.
10 - Professora de português não conversa; produz texto oral.
11 - Professora de português não fala palavrão; profere verbos defectivos.
12 - Professora de português não se corta; faz hiato.
13 - Professora de português não grita; usa vocativos.
14 - Professora de português não dramatiza; declama com emotividade.
15 - Professora de português não se opõe; tem problemas de concordância.
16 - Professora de português não discute; recorre a proposições adversativas.
17 - Professora de português não exagera; usa hipérboles.
18 - Professora de português não compra supérfluos; possui termos acessórios.
19 - Professora de português não fofoca; pratica discurso indireto.
20 - Professora de português não é frágil; é átona.
21 - Professora de português não fala demais; usa pleonasmos.
22 - Professora de português não se apaixona; cria coesão contextual.
23 - Professora de português não tem casos de amor; faz romances.
24 - Professora de português não se casa; conjuga-se.
25 - Professora de português não depende de ninguém; relaciona-se a períodos por subordinação.
26 - Professora de português não tem filhos; gera cognatos.
27 - Professora de português não tem passado; tem pretérito mais-que-perfeito.
28 - Professora de português não rompe um relacionamento; abrevia-o.
29 - Professora de português não foge a regras; vale-se de exceções.
30 - Professora de português não é autoritária; possui voz ativa.
31 - Professora de português não é exigente; adota a norma padrão.
32 - Professora de português não erra; recorre a licença poética.

4 Pilares da Educação

Segundo a UNESCO e Bernardo Toro

Aprender a conhecer

* Domínio da leitura e da escritas
* Capacidade de receber criticamente os meios de comunicação
* Aprender a acessar informações
* Valorizar o conhecimento e o saber social
* Desenvolver habilidades para a vida cotidiana
* Ter condições de compreender e operar o seu entorno social
* Aprender a zelar pela saúde
* Ser capaz de calcular e de resolver problemas
* Domínio da língua oral

Aprender a conviver

* Aprender a aproximar-se dos outros
* Aprender a ouvir o outro
* Aprender a propor sem impor
* Aprender a lidar com as diferenças
* Aprender a ceder sem se sentir perdedor
* Aprender a administrar conflitos
* Aprender a compatilhar outros modos de pensar, sentir, atuar
* Aprender a buscar a unidade na diversidade
* Desenvolver soliariedade e cooperação

Aprender a fazer

* Formação profissional
* Desenvolver comportamentos sociais
* Aptidão de trabalhar em equipe
* Aptidão de decidir em grupo
* Aprender a gerir e resolver conflitos
* Boa articulação verbal
* Espírito de iniciativa
* Flexibilidade
* Criatividade

Aprender a ser

* Aprender a se conhecer
* Aprender conhecer o mundo que o rodeia
* Aprender a perceber os outros
* Relacionar-se com o outro de modo responsável e justo
* Aprender a lidar com forma construtivista com suas potencialidades e limite
* Ser capaz de elaborar pensamentos autônomos e críticos
* Aprender a lidar com os sentimentos
* Respeitar a vida
* Ser capaz de viver a própria intimidade
* Respeitar a vida íntima dos outros



Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. 

CURY, Augusto.Dez leis para ser feliz, Editora Sextante.2003

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

COMO APRENDEMOS AS COISAS

O Currículo não pressupõe conteúdos prontos a serem passados aos alunos. É uma construção e seleção de conhecimentos e práticas produzidas em contextos concretos e em dinâmicas sociais. Nesse sentido, considera que diferentes conteúdos aprendem de diferentes formas: 

1. Conteúdo Factual - Como se Aprende? 
FATOS, telefones, datas comemorativas, nomes... Uso da memória, exercitar e repetir várias vezes. 

2. Conteúdo Procedimental - Como se Aprende? 
PROCEDIMENTOS, dirigir carro, cozinhar, grafia de letras... FREQÜÊNCIA, receber ajuda daquele que sabe. 

3. Conteúdo Conceitual - Como se Aprende? 
CONCEITOS, Sistema Alfabético; Fotossíntese; Divisão;CONSTRUÇÃO PESSOAL, Pensar, comparar, compreender, estabelecer relações. 

4. Conteúdo Atitudinal - Como Aprende? 
ATITUDE, responsabilidade, hábito de leitura, solidariedade, coerência, vivenciar situações que representam valores. 


domingo, 2 de fevereiro de 2014

MARISA LAJOLO

PARTE 1


PARTE 2

REPORTAGEM SOBRE FERNANDO PESSOA






A LITERATURA NO CINEMA

TROVADORISMO/CLASSICISMO

A megera domada (de Franco Zeffirelli) – 1967- William Shakespeare
Um cavalheiro do século XVI, que ficou pobre, viaja quilômetros atrás de uma esposa rica. Ele encontra uma mulher não só rica como bonita. Tudo ia bem até que ela veio com umas idéias bastante esquisitas, que séculos mais tarde ficariam conhecidas como feminismo.

A Odisséia – 1997 - Poema A Odisséia, Homero
Uma adaptação do poema clássico A Odisséia, atribuído a Homero, onde Odisseu (Ulisses) enfrenta a fúria dos deuses, perigosos inimigos e monstros mitológicos, demonstrando bravura e resistência para retornar aos braços de sua amada Penélope.

A rainha Margot - 1994
Baseado no clássico de Alexandre Dumas. O filme retrata a França em 1572, quando do casamento da católica Marguerite de Valois e o protestante Henri de Navarre, que procurava minimizar as disputas religiosas, mas acaba servindo de estopim para um violento massacre de protestantes conhecido como a "noite de São Bartolomeu" , que teve a conivência do rei da França Carlos IX, irmão de Margot.

Documentário Luís de Camões – 1995 - Luís de Camões
Baseado na vida do escritor Luís Vaz de Camões. Gênero: documentário. Ano: 2000. Duração: 55 minDocumentário sobre um dos maiores poetas da Língua Portuguesa realizado pela TV portuguesa. Enfoca sua vida e sua obra.

Hamlet – 1990 – Shakespeare
Mel Gibson interpreta Hamlet nesta versão mais atualizada da mais conhecida obra de William Shakespeare. Hamlet descobre, através do fantasma de seu pai - o antigo rei da Dinamarca - que seu tio, agora casado com sua mãe e o novo detentor do trono, foi quem o assassinou. Agora a alma de Hamlet passará por provações grandiosas enquanto ele toma coragem para se vingar.

Helena de Tróia - 2003
Helena é raptada por Paris, líder dos troianos, e torna-se pivô de uma grande batalha entre Tróia e Esparta que duraria quase uma década. O filme é uma superprodução milionária, baseada no poema épico de Homero, A Ilíada.


Medéia – 1969 - Mitologia – tragédia de Eurípedes
Em seu único papel no cinema, a diva Maria Callas vive a feiticeira Medéia, que mata o próprio irmão para fugir com o amado, Jasão, que roubara o velocino de ouro. Anos mais tarde, Jasão a abandona, para se casar com a jovem e bela flha do Rei Creone. Indignada, Medéia planeja uma terrível vingança contra Jasão. Com belíssima fotografia de Ennio Guarnieri, Medéia é uma brilhante versão da tragédia grega de Eurípedes. Sem dúvida, um dos mlehores trabalhos do polêmico Pier Paolo Pasolini, o diretor de O Evangelho Segundo São Mateus, Teorema entre outros filmes memoráveis.

Mitos literários do ocidente – A viagem de Ulisses – 2005 Homero - Ilíada e Odisséia
O professor Antonio Medina em sua palestra A viagem de Ulisses aborda as aventuras narradas por Homero na Ilíada e na Odisséia. De acordo com sua análise, Homero fala de ambientes guerreiros: na Ilíada ele fala sobre os acontecimentos finais da Guerra de Tróia e na Odisséia, ele narra as aventuras de Ulisses para retornar aos braços da sua amada Penélope e de seu filho. Na Odisséia, Ulisses aparece como um homem capaz de costurar várias contradições ao longo do mundo. Ele tem a condição do sábio, do generoso e a condição do homem que está libertado daquela necessidade auto-magnética do guerreiro que quer ser um deus de qualquer maneira. Ulisses foi um guerreiro que não quis ser eterno, ele quis ser homem.

O inferno de Dante – 1997 - Dante Alighieri
Autor deste poema medieval, Dante Alighieri, trouxe o Inferno à vida através de representações extremamente realísticas de tortura, dor, dos demônios e do próprio Satanás. Através de entrevistas com renomados especialistas e visualizações de cenas cruciais, este documentário mergulha fundo no significado e intemporalidade desta obra, trazendo-a para uma análise dos dias de hoje.

O mercador de Veneza - 2004 - William Shakespeare
O jovem nobre Bassanio (Joseph Fiennes) pediu dinheiro emprestado ao amigo Antonio (Jeremy Irons). O objetivo de Bessanio é viajar a Belmont e pedir a mão de Portia (Lynn Collins). No entanto, Antonio não pode emprestar o dinheiro e só resta ao jovem procurar o agiota Shylock (Al Pacino). O amigo pede dinheiro ao negociador pessoalmente, prometendo-lhe um naco de sua própria carne caso não haja pagamento. Essa negociação acaba mudando a vida de todos em volta de Bassanio.

O nome da rosa – 1986 - Idade Média/ Inquisição
Baseado no excelente romance de Umberto Eco. Gênero: suspense. Ano: 1986. Um monge franciscano é encarregado de investigar uma série de estranhas mortes que passam a ocorrer em um mosteiro, em plena Idade Média.

The themes of Shakespeare – 2004 - Hamlet – Júlio César – Macbeth – Otelo – Rei Lear – Romeu e Julieta
The Themes of Shakespeare é um guia inestimável da obra de um dos mais importantes autores de língua inglesa, e traz as maiores autoridades do Shakespeare Institute de Stratford-upon-Avon e do Shakespeare Centre apresentando um estudo detalhado de alguns de seus trabalhos mais populares e das questões mais comuns que os cercam. As discussões são ilustradas por filmes e encenações feitas especialmente para o programa pelos atores da Stratford Shakespeare Company.

Vestibulando digital – 2006 – Literatura
Introdução à Literatura e Trovadorismo
Humanismo - Classicismo - Camões épico - Os Lusíadas - Barroco em Portugal e Literatura Informativa - Barroco no Brasil -Arcadismo em Portugal - Arcadismo no Brasil - Romantismo -Romantismo no Brasil e em Portugal - Gerações Românticas no Brasil e em Portugal - Gerações Românticas no Brasil -Romantismo no Brasil - Prosa - Realismo/Naturalismo em Portugal -Eça de Queirós e o Realismo - Realismo/Naturalismo no Brasil -Machado de Assis - Parnasianismo - Simbolismo em Portugal e no Brasil - Pré-modernismo - Brasil - Vanguarda Européia -Modernismo em Portugal - Modernismo no Brasil - 1ª fase -Modernismo no Brasil - 2ª fase - poesia) - Modernismo no Brasil - 2ª fase (prosa) - Modernismo no Brasil - 3ª fase - Produçõescontemporâneas.

QUINHENTISMO


Quinhentismo

Anchieta – 1977 - Pe José de Anchieta
Baseado na vida do Pe José de Anchieta. Gênero: drama - Ano: 1977 - Elenco: Ney Latorraca ... Anchieta, Luiz Linhares, Maurício do Valle, Joel Barcellos, Hugo Carvana 
Anchieta José do Brasil é a cinebiografia do jesuíta José de Anchieta (1534-1597) interpretado magistralmente pelo ator Ney Latorraca. O filme acompanha desde o nascimento de José de Anchieta, na ilha de Tenerife, passando pela fundação do Colégio de São Paulo, sua convivência com o padre Manoel da Nóbrega até sua morte, no Espírito Santo. É destacada também a sua luta em favor dos índios brasileiros. 



A missão - 1986

Filme A Missão
O filme "A Missão" quer relatar os interesses colonialistas em vista do enriquecimento e colonização. Nele se destaca o papel dos jesuítas que, em terras portuguesas, eram uma influência estrangeira (eram espanhóis) diversos às determinações da Corte (principalmente na questão indígena e territorial). O interesse da Ordem (ameaçada de extinção) estava acima dos índios, causando uma tensão interna nos personagens: obedecer ou seguir os ditames da consciência. Os jesuítas queriam as reduções longe dos centros povoados, onde eles mesmos teriam o controle espiritual e temporal.O filme tem como pano-de-fundo a questão do Tratado de Madrid de 1750 que buscava redividir os territórios espanhóis e portugueses visando corrigir o já obsoleto "Tratado de Tordesilhas".

Brava gente brasileira – 2000 - Povos indígenas
Gênero: drama - Ano: 2000- Duração: 104 minutos - Elenco: Diogo Infante (Diogo), Floriano Peixoto (Pedro), Luciana Rigueira (Ánote), Leonardo Villar. (Ex-jesuíta) Sinopse: A ficção passa-se no atual Mato Grosso do Sul, quando no final do século XVIII, um grupo de portugueses designados para fazer um levantamento topográfico na região do Pantanal se envolve com estupro de índias da tribo kadiwéus, um ramo dos guaicurus. No filme, a diretora focaliza o conflito cultural entre brancos (colonizadores) e nativos (colonizados), tendo como tema principal a dificuldade de compreensão cultural, retratada na relação entre a personagem do ator português Diogo Infante, um libertário apaixonado pelo que vai conhecendo dos índios, e a amada prisioneira.

Caramuru, a invenção do Brasil
Em 1º de janeiro de 1500 um novo mundo é descoberto pelos europeus, graças a grandes avanços técnicos na arte náutica e na elaboração de mapas. É neste contexto que vive em Portugual o jovem Diogo, pintor que é contratado para ilustrar um mapa e, por ser enganado pela sedutora Isabelle, acaba sendo punido com a deportação na caravela comandada por Vasco de Athayde. Mas a caravela onde Diogo está acaba naufragando ele, por milagre, consegue chegar ao litoral brasileiro. Lá ele conhece a bela índia Paraguaçu com quem logo inicia um romance temperado posteriormente pela inclusão de uma terceira pessoa: a índia Moema, irmã de Paraguaçu.
Como era gostoso o meu francês – 1970 – Quinhentismo
Gênero: aventura
Ano: 1970
No Brasil de 1594, um aventureiro francês prisioneiro dos Tupinambás escapa da morte graças aos seus conhecimentos de artilharia. Segundo a cultura Tupinambás, é preciso devorar o inimigo para adquirir todos os seus poderes, no caso saber utilizar a pólvora e os canhões. Enquanto aguarda ser executado, o francês aprende os hábitos dos Tupinambás e se une a uma índia e através dela toma conhecimento de um tesouro enterrado e decide fugir. A índia se recusa a segui-lo e após a batalha com a tribo inimiga, o chefe Cunhambebe marca a data da execução: o ritual antropofágico será parte das comemorações pela vitória.

Desmundo
Brasil, por volta de 1570. Chegam ao país algumas órfãs, enviadas pela rainha de Portugal, com o objetivo de desposarem os primeiros colonizadores. Uma delas, Oribela (Simone Spoladore), é uma jovem sensível e religiosa que, após ofender de forma bem grosseira Afonso Soares D'Aragão (Cacá Rosset) se vê obrigada em casar com Francisco de Albuquerque (Osmar Prado), que a leva para seu engenho de açúcar. Oribela pede a Francisco que leh dê algum tempo, para ela se acostumar com ele e cumprir com suas "obrigações", mas paciência é algo que seu marido não tem e ele praticamente a violenta. Sentindo-se infeliz, ela tenta fugir, pois quer pegar um navio e voltar a Portugal, mas acaba sendo recapturada por Francisco. Como castigo, Oribela fica acorrentada em um pequeno galpão. Deprimida por estar sozinha e ferida, pois seus pés ficaram muito machucados, ela passa os dias chorando e só tem contato com uma índia, que lhe leva comida e a ajuda na recuperação, envolvendo seus pés com plantas medicinais. Quando ela sai do seu cativeiro continua determinada em fugir, até que numa noite ela se disfarça de homem e segue para a vila, pedindo ajuda a Ximeno Dias (Caco Ciocler), um português que também morava na região.
Hans Staden – 2000 - Povos indígenas/ antropofagia
Gênero: aventura
Ano: 1999
Duração: 92 minutos
Elenco: Carlos Evelyn, Ariana Messias, Darci Figueiredo, Beto Simas, Milton de Almeida, Stênio Garcia, Sérgio Mamberti. 
O filme conta a história de Hans Staden, viajante alemão que, em 1550 naufragou no litoral de Santa Catarina. Dois anos depois, conseguiu chegar em São Vicente, reduto da colonização portuguesa. Ali ficou dois anos trabalhando como artilheiro do Forte de Bertioga.


O descobrimento do Brasil – 1937 – Colonização

Transcrição fílmica da Carta de Achamento do Brasil, escrita pelo escrivão da frota, Pero Vaz de Caminha.

- O filme, patrocinado pelo Instituto de Cacau da Bahia, estreou no Palácio Teatro do Rio de Janeiro a 6 de dezembro de 1937.



1492 – A conquista do paraíso – 1992 - Expansão ultramarina

Vinte anos da vida de Colombo, desde quando se convenceu de que o mundo era redondo, passando pelo empenho em conseguir apoio financeiro da Coroa Espanhola para sua expedição, o descobrimento em si da América, o desastroso comportamento que os europeus tiveram com os habitantes do Novo Mundo e a luta de Colombo para colonizar um continente que ele descobriu por acaso, além de sua decadência na velhice.
_____________________________________________________
BARROCO
Aleijadinho - Paixão Glória e Suplício – 2000
Gênero: drama
Ano: 2000
Duração: 100 minutos
Elenco: Maurício Gonçalves, Maria Ceiça, Carlos Vereza
Sinopse: Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, tomou-se artista famoso com suas esculturas dos Profetas e igrejas inteiras de Ouro Preto e outras cidades brasileiras durante o século XVIII, mas uma doença misteriosa destruiu seus dedos, mãos, braços e tirou sua vida. A história é narrada em forma de flash-back desde o nascimento, infância, juventude, formação artística e cultural até a vida apaixonada e gloriosa.

Gregório de Matos – 2002
Gênero: drama
Ano: 2002
Duração: 70 minutos
Elenco: Waly Salomão (Gregório de Mattos), Marília Gabriela (Abadessa), Ruth Escobar.
Sinopse: Em pleno século XVII surge na Bahia o poeta Gregório de Mattos, que com sua obra e vida trágicas anuncia o perfil tenso e dividido do povo brasileiro. Com sua produção literária o poeta cria situações desconfortáveis aos poderosos da época, que passam a combatê-lo até transformar sua vida em um verdadeiro inferno.

Palavra e utopia – 2000 - Pe Antônio Vieira
Em 1663, quando o Padre Antonio Vieira é convocado a comparecer diante da terrível Inquisição portuguesa, ele precisa explicar as idéias que defende ao questionar a escravidão, a situação dos índios e as relações império-colônia. Intrigas na corte e um pequeno mal-entendido enfraquecem o poder do jesuíta, que chegou a ser amigo íntimo do rei Dom João IV. Perante os juízes, padre Vieira passa a limpo seu passado: a juventude no Brasil e os anos de noviciado na Bahia, seu envolvimento na causa dos índios e o primeiro sucesso no púlpito. Este tributo de Manoel de Oliveira ao padre Antônio Vieira não é uma cinebiografia, mas sim de um corajoso documento sobre a palavra e sobre o pensar.Quilombo
Em torno de 1650, um grupo de escravos se rebela num engenho de Pernambuco e ruma ao Quilombo dos Palmares, onde uma nação de ex-escravos fugidos resiste ao cerco colonial. Entre eles, está Ganga Zumba, príncipe africano e futuro líder de Palmares, durante muitos anos. Mais tarde, seu herdeiro e afilhado, Zumbi, contestará as idéias conciliatórias de Ganga Zumba, enfrentando o maior exército jamais visto na história colonial brasileira.

Sermões, a história de Antônio Vieira


Narrativa que mistura o figurativo e o histórico sobre a vida do padre jesuíta Antônio Vieira, que nasceu em Lisboa em 1608 e foi assassinado na Capitania Hereditária de Salvador, em 1697.
- O enredo é sobre seus famosos sermões. que não são apresentados diretamente através de uma linguagem convencional, típica dos filmes biográficos, mas num estudo experimental editado com diversas cenas de clássicos do cinema universal dos anos 20 e 30. 

- O filme foi idealizado durante doze anos, realizado em onze dias e estreou na televisão antes de entrar no circuito comercial.
 

REFERÊNCIA:
LITERATURA NO CINEMA
Referência: Literatura no cinema

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS

LINCADO AO FACEBOOK
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 1º EM - 1º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 1º EM - 2º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 1º EM DO 3º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 1º EM DO 4º BIM

CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 2º EM DO 1º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 2º EM DO 2º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 2º EM DO 3º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 2º EM DO 4º BIM

CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 3º EM DO 1º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 3º EM DO 2º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 3º EM DO 3º BIM
CURRÍCULO DE TODAS AS DISCIPLINAS DO 3º EM DO 4º BIM

CURRÍCULO DE LP - 1º, 2º, 3º e 4º BIM
Referência: PCOP João Mário da DE de São Vicente/SP

COMPETÊNCIAS COGNITIVAS



Competências para observar - HABILIDADES DO GRUPO I

Observar para levantar dados, descobrir informações nos objetos, acontecimentos,situações etc., e suas representações;
Identificar, reconhecer, indicar, apontar, dentre diversos objetos, aquele que corresponde a um conceito ou a uma descrição,
Identificar uma descrição que corresponde a um conceito ou às características típicas de objetos, da fala, de diferentes tipos de texto,
Localizar um objeto, descrevendo sua posição ou interpretando a descrição de sua localização, ou localizar uma informação em um texto;
Descrever objetos, situações, fenômenos, acontecimentos etc., e interpretar as descrições correspondentes;
Discriminar, estabelecer diferenciações entre objetos, situações e fenômenos com diferentes níveis de semelhança;
Constatar alguma relação entre aspectos observáveis do objeto, semelhanças e diferenças, constâncias em situações, fenômenos, palavras, tipos de texto etc.;
Representar graficamente (por gestos, palavras, objetos, desenhos, gráficos etc.) os objetos, situações, seqüências, fenômenos, acontecimentos etc.;
Representar quantidades através de estratégias pessoais, de números e de palavras.


Competências para realizar - HABILIDADES DO GRUPO II

Classificar - organizar (separando) objetos, fatos, fenômenos, acontecimentos e suas representações, de acordo com um critério único, incluindo subclasses em classes de maior extensão;
Seriar - organizar objetos de acordo com suas diferenças, incluindo as relações de transitividade;
Ordenar objetos, fatos, acontecimentos, representações, de acordo com um critério;
Conservar algumas propriedades de objetos, figuras, etc., quando o todo se modifica;
Compor e decompor figuras, objetos, palavras, fenômenos ou acontecimentos em seus fatores, elementos ou fases, etc.;
Fazer antecipações sobre o resultado de experiências, sobre a continuidade de acontecimentos e sobre o produto de experiências;
Calcular por estimativa a grandeza ou a quantidade de objetos, o resultado de operações aritméticas, etc.;
Medir, utilizando procedimentos pessoais ou convencionais;
Interpretar - explicar o sentido que têm para nós acontecimentos, resultados de experiências, dados, gráficos, tabelas, figuras, desenhos, mapas, textos, descrições, poemas, etc., e apreender este sentido para utilizá-lo na solução de problemas;

Competências para compreender - HABILIDADES DO GRUPO III

Analisar objetos, fatos, acontecimentos, situações, com base em princípios, padrões e valores;
Aplicar relações já estabelecidas anteriormente ou conhecimentos já construídos a contextos e situações diferentes; aplicar fatos e princípios a novas situações, para tomar decisões, solucionar problemas, fazer
prognósticos etc.;
Avaliar, isto é, emitir julgamentos de valor referentes a acontecimentos, decisões, situações, grandezas, objetos, textos etc.;
Criticar, analisar e julgar, com base em padrões e valores, opiniões, textos, situações, resultados de experiências, soluções para situações-problema, diferentes posições assumidas diante de uma situação etc.;
Explicar causas e efeitos de uma determinada seqüência de acontecimentos;
Apresentar conclusões a respeito de idéias, textos, acontecimentos, situações etc.;
Levantar suposições sobre as causas e efeitos de fenômenos, acontecimentos etc.;
Fazer prognósticos com base em dados já obtidos sobre transformações em objetos, situações, acontecimentos, fenômenos etc.;
Fazer generalizações (indutivas) a partir de leis ou de relações descobertas ou estabelecidas em situações diferentes, isto é, estender de alguns para todos os casos semelhantes;
Fazer generalizações (construtivas) fundamentadas ou referentes às operações do sujeito, com produção de novas formas e de novos conteúdos;
Justificar acontecimentos, resultados de experiências, opiniões, interpretações, decisões etc.

Lino de Macedo


Referência: Matriz de referência para avaliação, out 2008, p 17 a 20.